O que são os Serviços Mínimos Bancários

Há uma oportunidade que muitas pessoas estão a desperdiçar e com isso estão a perder dinheiro… todos os Bancos cobram comissões, anuidades de cartões, etc. muito facilmente um banco nos cobra 100€ por ano só para termos conta à ordem e um cartão multibanco. Para ganhar 100€ por ano basta-lhe ir ao seu Banco e pedir acesso aos Serviços Mínimos Bancários. Neste artigo tento de forma simples e clara mostrar o que isso é e as condições!!

O que são os Serviços Mínimos Bancários?

Os bancos Portugueses são obrigados desde o ano passado a fornecer uma serie de serviços por um preço equivalente a 1% do salário mínimo nacional, isto significa que por 5.57€ por ano!

Que Serviços estão Incluídos?

  • Abertura e manutenção de uma conta de depósito à ordem – a conta de serviços mínimos bancários;
  • Disponibilização de um cartão de débito para movimentação da conta;
  • Acesso à movimentação da conta de serviços mínimos bancários através de caixas automáticos, serviço de homebanking e balcões da instituição de crédito;
  • Realização de depósitos, levantamentos, pagamentos de bens e serviços, débitos diretos e transferências intrabancárias nacionais, sem restrição quanto ao número de operações que podem ser realizadas.

Quais as condições para aderir aos Serviços Mínimos Bancários?

Pode aderir a este serviço qualquer pessoa que tenha apenas uma conta de depósitos à ordem, não interessa o banco só pode ter uma conta! e esta conta tem que ter sido movimentada pelo menos uma vez nos últimos 6 meses.

Há também condições especiais para pessoas com mais do que 65 anos  ou com um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60%.

Quais são as condições para manter os Serviços Mínimo Bancários?

  • O saldo médio a 6 meses tem que ser superior a 5% do Salário Mínimo Nacional, ou seja tem que lá ter pelo menos 27.85€, se um mês baixar deste valor tem que ter cuidado… e no próximo deixar mais algum para que a média dos últimos 6 meses não baixe dos 27.85€
  • Tem que fazer pelo menos um depósito, levantamento ou pagamento de 6 em 6 meses… basta por exemplo receber nessa conta o Salário ou um subsidio para garantir que não lhe tiram o direito a esta conta.
  • Ambas as regras anteriores não se aplicam no primeiro ano, segundo as regras do Banco de Portugal o banco não lhe pode encerrar a conta durante o primeiro ano.

Posso ter uma conta de depósitos a prazo e aceder a este serviço?

Sim! Quem beneficia deste serviço pelos 5.57€ tem acesso aos serviços mínimos (ver Serviços Incluídos), no entanto não está impedido nem perde o direito de usufruir caso opte por aceder a outros serviços fornecidos pelo banco (desde que continue a manter as condições de acesso!), por isso não há problema se tiver depósitos a prazo, contas poupança, fizer transferências para outro banco ou internacionais (as que estão incluídas são apenas entre contas do mesmo banco!), pedir um empréstimo, entre outros serviços fornecidos pelo banco.

Para segurança e não perder o acesso o melhor é informar-se no próprio banco ao aderir a um serviços, pois algumas condições variam de banco para banco.

Quais são os Bancos em que posso pedir?

Os bancos que fornecem os serviços mínimos bancários são obrigados a ter afixado um aviso modelo em que informam os seus clientes que fornecem este serviço.

Serviços Minimo Bancarios

Os Bancos que fornecem este serviço estão também obrigados a disponibilizar um documento com as características do mesmo num determinado formato denominado de Ficha de Informação Normalizada. Segue a lista dos bancos aderentes e o link para respectiva Ficha de Informação Normalizada (FIN)

Instituição de crédito Conta de serviços mínimos bancários – Ficha de informação normalizada
Abanca Corporation Bancária FIN
Banco Activobank FIN
Banco BIC Português FIN
Banco Bilbao Vizcaya Argentaria FIN
Banco BNI Europa FIN
Banco BPI FIN
Banco Comercial Português FIN
Banco CTT FIN
Banco de Investimento Global FIN
Banco do Brasil FIN
Banco Invest
Banco Popular Portugal FIN
Banco Privado Atlântico-Europa FIN
Banco Santander Totta FIN
Bankinter FIN
Best – Banco Electrónico de Serviço Total FIN
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Chamusca FIN
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Bombarral FIN
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Leiria FIN
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Mafra FIN
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Torres Vedras FIN
Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo FIN
Caixa Económica Montepio Geral FIN
Caixa Geral de Depósitos FIN
Crédito Agrícola* FIN
Crédito Agrícola Açores FIN
Deutsche Bank FIN
Novo Banco FIN
Novo Banco dos Açores FIN

Trabalhar na Alemanha

A chanceler alemã Angela Merkel, disse na semana passada, que a Alemanha tem a porta aberta para a contratação de mão de obra especializada de países Europeus que tenham um nível elevado de desemprego, e foi especifica ao ponto de referir a situação de Portugal e Espanha.

Esta mão de obra especializada refere-se a jovens licenciados de várias áreas, existem perto 500 000 vagas a ocupar na Alemanha, li agora no Jornal Publico que está a ser preparada uma campanha para aliciar e incentivar os desempregados Portugueses e Espanhóis a partirem para a Alemanha.

Tendo em conta que pela estatística existem 50 000 licenciados no desemprego em Portugal, a concorrerem todos ainda sobram lugares!!

Nota-se claramente que a crise na Alemanha já faz parte do passado, quem puder e quiser é uma oportunidade de ir para um país com o qual Portugal tem muito a aprender.

Com os cortes que temos sofrido em Portugal a vontade de ter mais qualidade de vida é grande (pelo menos a minha), embora possa custar deixar tudo que temos aqui, é uma hipótese a ponderar, não só pelos salários atrativos mas pela qualidade de vida mais elevada, e pela oportunidade de trabalhar num país dos mais desenvolvidos do planeta.

Concurso Estágios Profissionais

Abriu hoje o concurso para a admissão de perto de 2000 estágio profissionais na administração local (juntas, câmaras  ou outros órgãos públicos) . Transcrição na integra da publicação oficial que está na página do Governo de Portugal (ORIGINAL), já agora deixo também o link de onde podem submeter as candidaturas (Portal Autárquico), boa sorte a todos os que concorrerem.

Presidência do Conselho de Ministros

Gabinete do Secretário de Estado da Administração Local

Programa de Estágios Profissionais na Administração Local

(Período de candidaturas abre a 24 de Janeiro de 2011)

O Governo concretizou o lançamento do Programa de Estágios na Administração Local.

Este programa decorre do novo regime legal aprovado em 2010 e materializa o anúncio feito pelo Primeiro-Ministro no último Congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses.

Este novo programa vai contribuir para uma melhor transição para a vida activa de um elevado número de jovens à procura do primeiro ou de novo emprego.

Pela primeira vez, vão existir estágios no sector empresarial local e é conferida aos municípios a possibilidade de definição do local do exercício do estágio noutras entidades, como instituições particulares de solidariedade social, em empresas, escolas, entre outros, permitindo assim diversificar as oportunidades para os jovens candidatos.

Para os municípios com menos de 30.000 eleitores será possível conferir, em caso de igualdade, preferência aos residentes na área do município no acesso ao estágio.

O número máximo de estagiários a admitir no Programa de Estágios na Administração Local é de 2000, tendo as entidades da administração local já manifestado a intenção de promoverem 1330 estágios.

O período de apresentação de candidaturas decorre entre 24-01-2011 e 04-02-2011, através do sítio da internet da Direção-Geral das Autarquias Locais (www.portalautarquico.pt), tendo os estágios início até 04-04-2011.

Os custos da realização dos estágios na administração local são comparticipados, nas zonas de convergência, em 70%.

Bolsa de Emprego Virtual

É já a partir de amanhã que a Bolsa Virtual de Emprego vai estar permanentemente activa.

Até agora estava aberta apenas em algumas alturas especificas do ano, mas devido à grande procura foi tomada a decisão de abrir a Bolsa de Emprego permanentemente.

A Bolsa Virtual de Emprego e Empreendedorismo Universia, sustentada exclusivamente na plataforma online, apresenta-se como um espaço com gráficos a três dimensões onde é possível consultar e responder a ofertas de emprego, mas também assistir a "chats-colóquio" e obter esclarecimento junto de empresas e instituições de ensino.

Para visitar a bolsa virtual de emprego basta visistar o seguinte link http://bolsaemprego.universia.pt/.

Fonte Noticia TEK

Novas Regras Subsidio de Desemprego para Julho

O novo regime do subsídio de desemprego que obriga os desmepregados a aceitar trabalhar por salários mais baixos entrará em vigor no dia 1 de Julho.

Quem já está a receber subsídio de desemprego manterá o valor da prestação, mas será obrigado a aceitar propostas de trabalho por um salário mais baixo do que até aqui. Nos primeiros 12 meses de desemprego, as pessoas terão que aceitar as ofertas de trabalho – dentro da sua formação e competências – que lhes ofereça um salário dez por cento superior ao valor do subsídio de desemprego. Do 13º mês em diante, é considerado emprego conveniente o que propuser um salário de valor igual ao subsídio.
Na lei que ainda está em vigor as regras eram bem diferentes: os desempregados só eram obrigados a aceitar trabalhos nos primeiros seis meses por remuneração 25 por cento acima da prestação e a partir do sétimo mês tinha que haver uma majoração de dez por cento.
Os desempregados que se inscreverem nos centros de emprego a partir de 1 de Julho, além do novo conceito de emprego conveniente, terão de contar com um novo limite ao valor do subsídio. É que a prestação não poderá ser superior a 75 por cento do salário ilíquido que o desempregado recebia quando estava no activo.
Este novo limite irá a generalidade dos desempregados com salários a partir dos 516 euros. São excepção os trabalhadores que tinham salários muito baixos, que continuam protegidos pela regra que impede que o subsídio seja inferior a 419,22 euros, e os que recebiam salários elevados que continuam a ter a regra travão que impõe como limite máximo do subsídio os 1257 euros.

Fonte: Artigo Original do Jornal Publico