A Entrevista de Trabalho

Após o envio da carta de apresentação e do currículo, o passo seguinte é a entrevista de avaliação de competências, esta etapa ao contrario das anteriores não dependem directamente de quem procura trabalho. Esta etapa depende já da entidade empregadora, que após a avaliação das cartas de apresentação e dos currículos, selecciona os candidatos que melhor se enquadram na vaga de emprego que querem preencher.

A entrevista de avaliação de competências, não é nada mais nada menos do que uma conversa formal com um representante da empresa que nos poderá contratar, é uma oportunidade única de entrar-mos na empresa desejada, por muito bons trabalhadores que sejamos, se não passarmos essa imagem ao empregador, ficamos de fora.

Devemos ir para a entrevista bem apresentados, dependendo do tipo de trabalho, devemos ir o mais formal possível, é obvio que se a entrevista é para jardineiro não temos que obrigatoriamente ir de fato e gravata, mas a primeira impressão que vamos causar numa entrevista é com a aparência, embora a aparência possa não ser essencial para o cargo, se formos mal vestidos e a cheirar a suor para uma entrevista, além do mau aspecto pode ser um factor de exclusão, porque isso demonstra falta de brio e significa se para um evento importante e com tanto significado vamos assim, imaginemos um dia normal de trabalho.

No inicio e durante a entrevista devemos ser confiantes, como costumo dizer “se eu não acreditar em mim, quem acreditará!!!”, devemos falar com confiança e com o tom de voz que se oiça. Ao entrar no local da entrevista devemos fazer questão de saudar os presentes, de forma convincente e com confiança, imaginemos que é de manha, um “Bom dia”, bastará, mas se o disser baixo e olhar para o chão, não mostra o quão sociável e confiante é, o confiança não deve contudo ser excessiva, com isto quero dizer que devemos aguardar serenamente que nos chamem, devemos aguardar que nos mandem sentar, no fundo outro atributo que é a cordialidade.

Durante a entrevista propriamente dita devemos olhar para o entrevistador, e ouvir as suas perguntas, e responder só quando nos for passada a palavra, interromper o entrevistador pode ser visto como má educação e impaciência, não nos devemos movimentar demasiado demonstrando impaciência. E não tentar avançar as perguntas que não nos interessam, mesmo que não estejam a falar do nosso ponto forte temos que responder.

Um ponto importante na entrevista é que estamos a ser avaliados, e temos que nos valer das nossas qualidades, mendigar o trabalho ou querer passar a imagem do coitadinho, pode não ser a melhor abordagem. O tema da remuneração não deve ser constantemente referido, ou usar frases do género “Ai… isso depende do salário!!”, um interesse exagerado na remuneração e nas regalias, pode significar que só queremos o trabalho pelo salário e pelas regalias, e que trabalhar depois vê-se…

Claro que devemos fazer perguntas sempre que hajam duvidas, mas sempre relacionadas com o tema em questão, não na altura em que estão a falar das suas habilitações que vai perguntar qual é o horário de trabalho, além de ser despropositado, estará a mudar o rumo à conversa e pode estar a passar partes importantes da entrevista que lhe poderiam ser favoráveis.

Não deve ter uma atitude demasiado narcisista, ou seja deixe que as as habilitações e a experiencia falem por si, não diga que só não fez mais na empresa X porque o patrão não prestava, não se enalteça demasiado, não se gabe dos seus feitos, prefira referir os factos e deixe o entrevistador tirar as suas conclusões, ninguém gosta de pessoas gabarolas!!!

No fim da entrevista possivelmente vai ter que esperar por uma resposta posterior da entidade empregadora, por isso despeça-se com cordialidade, demonstre vontade de lá voltar, e pode ser que volte para lá todos os dias.

No fundo a faca e o queijo estão na mão do entrevistador!!!

A carta de Apresentação

A carta de apresentação é a primeira oportunidade que temos, de convencer o empregador de que somos a pessoa que ele procura.

A Carta de Apresentação deve ser muito bem escrita, numa linguagem simples, clara e directa.

Algumas das “regras” de uma boa carta de apresentação são, dirigir-se sempre à pessoa que vai ler a carta, tente descobrir o nome ou pelo menos o cargo.

Começar bem para acabar melhor, ou seja escolher uma boa frase para iniciar o texto, de seguida deve referir a que é que se está a candidatar, caso esteja a responder a um anuncio deve referir o mesmo, mencionando onde é que o viu e a data.

Depois basicamente tem que vender a sua imagem, referir porque é que o empregador o deve seleccionar, a carta é a introdução do currículo, por isso pode aproveitar para referir sem grandes detalhes os factores profissionais ou de ensino que acha que podem fazer a diferença.

A carta de apresentação não pode ser usada para suplicar uma entrevista, ninguém anda neste mundo para fazer favores, logo não é por passar a imagem do coitadinho ou do necessitado que o empregador o vai contratar, tem que referir a sua vontade de trabalhar.

Copiar uma carta de apresentação já existente e mudar apenas os seus dados, só podem significar uma coisa para o empregador: PREGUIÇA.

Em breve vamos publicar aqui exemplos de cartas de apresentação, consulte os artigos mais recentes.